Como lidar com cães de grande porte em prédios

21/03/2016 - 21h57 - Atualizado em 21/03/2016 - 21h57
Autor: Paula Gama | [email protected]

Regras evitam conflitos entre os moradores. Proibir não é a indicação

A criação de animais dentro de condomínio é dos assuntos que mais geram discórdia entre vizinhos. E os atritos aumentam quando se fala de cães de grande porte. Algumas pessoas têm medo, outras se incomodam com o barulho e até mesmo com o odor. Para uma convivência mais harmônica, é preciso que o condomínio se posicione a respeito dos bichos de estimação.

A saída mais radical, proibir a presença de animais na propriedade, ficou no passado. O diretor da Marco Condominial, Marco Aurélio Nery, explica que os bichinhos, ou bichões, hoje em dia possuem mais proximidade com o ser humano, tornando-se parte da família. “Não há como proibir. Alguns condomínio fazem restrição de porte, mas ainda assim, é difícil tirar o animal do prédio se o caso chegar a um tribunal”, afirma.

Para não prejudicar o morador que possui um cão de grande porte ou o que se incomoda com a presença do animal, é mais recomendado que se crie regras para a circulação e aplique pena em quem descumprir. “A melhor solução é criar regras para o trânsito destes cachorros nas áreas comuns. Por exemplo, tornar obrigatório o uso de focinheira e cabo condutor. Só permitir o trânsito dentro do condomínio se estiver no carrinho, já que eles não cabem no colo, entre outras normas”, diz o presidente do Sindicato Patronal de Condomínios e Empresas de Administração de Condomínios do ES, Cyro Bach Monteiro.


PUBLICIDADE

Classificadões A Gazeta Copyright 2014. Todos os direitos reservados.