Calçada pode ser revestida com segurança e beleza

24/03/2016 - 17h18 - Atualizado em 24/03/2016 - 17h18
Autor: Paula Gama | [email protected]

Seguir as regras municipais não impede o morador de imprimir charme no passeio

Uma dica é ceder uma parte do terreno para o jardim

Uma dica é ceder uma parte do terreno para o jardim

Calçada cidadã é sempre igual, certo? Errado! é possível seguir as regras municipais e ter estilo na porta de casa.

Em Vitória, a lei exige que as calçadas com mais de 1,70m de largura tenha as bordas marcadas por piso podotátil, com textura diferenciada. O revestimento é uma sinalização para que o deficiente visual perceba onde não é seguro caminhar. “O piso marca tudo que for barreira, orelhões, entradas de carros, árvores entre outros. A área segura para passeio deve ser revestida com piso antiderrapante e não trepidante”, afirma o arquiteto Victor Sarcinelli.

A dica do arquiteto Fábio Pantaleão é ceder um espaço do terreno para deixar o local mais aconchegante. “Recuando um pouco a construção, é possível criar um canteiro ou um pequeno jardim. Este local deve estar cercado por piso podotátil. As plantas melhoram o clima e deixam a cidade mais agradável”

A subsecretária de Desenvolvimento Urbano e Mobilidade de Vila Velha, Anna Claudia Dias, explica que o município canela-verde segue regras nacionais. “O mais importante é preservar a acessibilidade universal. No lugar do piso podotátil, é possível usar grama, por exemplo, que possui uma textura diferente”.

Já o subsecretário de Controles Urbanos de Vitória, Rodrigo Monjardim, orienta que sempre que o morador tiver um projeto mais ousado, consulte a administração.

A arquiteta Ranielli Terra tem outras soluções criativas. “Uma opção é utilizar revestimentos coloridos na área principal”, indica.


PUBLICIDADE

Classificadões A Gazeta Copyright 2014. Todos os direitos reservados.