Testamos: Audi RS6 e RS7 são reforços na divisão Premium

4/05/2015 - 19h48 - Atualizado em 5/05/2015 - 20h20
Autor: Paula Gama | [email protected]

RS6 Avant e RS7 Sportback reestilizados desembarcam aqui com muita esportividade e beleza

RS6 Avant ostenta o título de perua mais rápida do mundo

RS6 Avant ostenta o título de perua mais rápida do mundo

No ano em que completa duas décadas da chegada da linha ao Brasil, a Audi apresentou as versões dos modelos Audi RS6 Avant e RS7 Sportback. Ainda sem preço definido, os carros chegam ao país a partir de maio, como trunfos da montadora para chegar ao topo das vendas entre as marcas Premium.

Tanto o RS6 Avant quanto o RS7 Sportback são impulsionados pelo avançado motor V8 biturbo 4.0 TFSI de 560 cv. Os dois também compartilham a tecnologia de cilindros sob demanda (Cylinder on Demand – COD), que desliga quatro cilindros do motor quando não é necessária muita potência, ajudando na economia. Ambos também possuem tração integral e construção de baixo peso.

Combinados, os itens fazem com que os carros transbordem esportividade ao motorista e cheguem de 0 a 100 km/h em apenas 3,9 segundos e tenham velocidade máxima de 305 km/h. Se os números impressionam na teoria, na prática é de arrepiar.

RS6 Avant

RS6 Avant acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 seg

RS6 Avant acelera de 0 a 100 km/h em 3,9 seg

Por fora, a perua continua muito bonita. A nova versão teve facelift nos faróis, na entrada de ar, saias laterais e lanternas traseiras. Por dentro, além do espaço – possui capacidade de porta-malas de 565 litros e entre-eixos de 2.915 mm –, ganhou acabamento em fibra de carbono e bancos de couro.

Dirigindo, o destaque fica por conta dos quatro modos de direção: Economic, Comfort, Dynamic e Personalizado, que mudam completamente o perfil do carro. Testamos os modos Comfort e Dynamic. No primeiro, o RS 6 é tão suave que parece que o carro flutua sobre o asfalto, seja na aceleração ou nas freadas.

Ao mudar de modo para “Dynamic”, é possível ouvir alto o ronco do motor e o modelo passa a despejar todo o potencial esportivo. Ainda assim, a estabilidade nas curvas é muito boa graças ao sistema de suspensão adaptativa a ar com Dynamic Ride Control (DRC), que utiliza molas de aço e amortecedores, interligados por dutos de óleo em uma válvula central controlando a rolagem da carroceria na hora de fazer a curva.

RS7

As conveniências e a elegância encontradas no RS6 Avant também são encontradas no RS7. Por fora, pouca coisa mudou. Para-choques e faróis vêm com tecnologia LED como item de série.

Com as mesmas configurações do RS6, RS7 se destaca pelo modo de direção esportivo

RS7 ganhou faróis de LED de série

A esportividade é ainda mais clara no modelo, que tem sob o capô 560 cv de potência e 70 kgmf de torque entre 1.750 e 5.500 rpm e faz o cupê chegar ao mesmo desempenho do RS6 Avant. Não à toa, pisar no acelerador nas retas e ouvir o ronco do motor entregando todo o potencial é prazeroso.

No modo “Sport”, o cupê chegou, com pouquíssimo esforço, a 240 km/h na reta principal. Destaque novamente para a transmissão de oito marchas, sendo a oitava alongada, permitindo a força do motor oito cilindros.

O RS7 não decepciona na hora de fazer as curvas, principalmente por causa da suspensão mais rígida. Resultado é que mesmo fazendo algumas curvas abertas a 120 km/h, o carro não canta pneu e se mantém estável.


PUBLICIDADE

Classificadões A Gazeta Copyright 2014. Todos os direitos reservados.